O fim dos smartphones com bateria removível

Por Felipe Ventura, do tecnoblog.net

Eu não compro um smartphone com bateria removível há anos. Meu último foi o Galaxy S2 Lite, substituído por um Nexus 4 em 2013. É um recurso cada vez mais raro de se encontrar, especialmente em se tratando de aparelhos top de linha.

Como nota o The Next Web, o lançamento do LG V30 marca o fim dos smartphones high-end com bateria removível, em se tratando de grandes fabricantes. E para algumas pessoas, isso é um problema.

A Samsung começou a abandonar baterias removíveis à medida que migrou de materiais em seus smartphones, deixando o plástico de lado para adotar metal e vidro. Vimos isso inicialmente no Galaxy Alpha, em 2014; e depois nos flagships Galaxy S6 e Note 5, em 2015.

O Moto X nunca teve baterias removíveis. Elas são a exceção na linha Moto G (só o G5 e G4 Play têm isso), e ficam reservadas para os modelos mais baratos, como o Moto C/C Plus e Moto E4.

A Sony adota baterias não-removíveis em seus flagships há muitos anos, desde os primeiros Xperia Z e Z1. A Asus também faz o mesmo em quase toda a sua linha, com poucas exceções (como o Zenfone 2 Laser, Zenfone Selfie e Zenfone Go).

Aparelhos da OnePlus nunca tiveram bateria removível, assim como os da “nova Nokia” (HMD Global). Nem mesmo a BlackBerry, mais focada no mercado empresarial, adota isso: os mais recentes KeyONE, Priv, DTEK60 e DTEK50 sequer têm traseira removível.

A única grande exceção era a LG. O G5 tinha bateria removível, que fazia parte de seu sistema modular. Quando a coreana se deparou com vendas fracas, decidiu abandonar essa ideia e adotar um design mais tradicional no G6, com traseira fechada. O LG V20 também tinha bateria removível, mas seu sucessor — o V30 — acabou com isso.

Há vários motivos para as fabricantes — começando pela Apple — abandonarem as baterias removíveis. Isso deixa o smartphone mais fino e mais leve; facilita a proteção IP68 contra água e poeira; e permite usar metal e vidro na traseira, em vez de plástico. Infelizmente, isso também coloca uma “data de validade” no aparelho, ou pelo menos dá um estímulo para você comprar um novo.

Napier Lopez lista no The Next Web alguns motivos para gostar da bateria removível em seu LG V20:

Quando minha bateria acabou durante a feira CES, eu pude colocar outra unidade com 100% de carga em questão de segundos. O carregamento rápido não é prático quando você está em movimento o dia todo. Eu poderia usar um powerbank, mas não gosto de andar por aí com um cabo pendurado no meu celular e uma bateria enorme no meu bolso. Substituir a bateria é simplesmente a solução mais elegante.

E você, sente falta de baterias removíveis nos smartphones?

0 respostas

Deixe uma resposta

Inicie um fórum de discussão!
Sinta-se a vontade para contribuir! Não esqueça, deixe-nos seu Nome: Email: e DDD+Telefone:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *